Vínculo

Vínculo

Acabei de desligar o telefone com um aluno meu, ligou-me porque precisava de um ponto de vista, de uma orientação. Ao fim de tantos anos de profissão, quando algo assim acontece ainda me vem aquela alegria genuína de sentir que estou no caminho certo e a fazer algo bem feito. E logo a seguir a essa alergia, veio à minha cabeça este pensamento: quanto mais oriento os meus alunos, mais entendo a importância do vínculo. E a base desse vínculo é a confiança, a responsabilidade e o tempo. O meu aluno tem de confiar em mim e sentir-se seguro de que jamais essa confiança será quebrada. A responsabilidade porque quando lidamos com a vulnerabilidade do outro precisamos de ter consciência da magnitude do que nos está a ser dado. E o tempo, por tudo o que é profundo e sólido, precisa de tempo, troca e momentos. Se for Instrutor e estiver a ler este texto, adoraria que sentisse o mesmo pelos seus alunos. Se for aluno e estiver a ler este texto, adoraria que se sentisse importante ao saber que o seu Instrutor sente isto em relação a si. E surge-me agora uma pergunta, antes de terminar este post, será que não nos deveríamos sentir assim em relação a todas as pessoas de quem gostamos? Um...
Livros a Ler: Tratado

Livros a Ler: Tratado

Este é o LIVRO! E por isso é a minha segunda recomendação de leitura para si. Contém a codificação do nosso Método e um acervo incrível de técnicas e conceitos. Pode ser lido de uma só vez (pelo menos uma vez deve lê-lo assim) ou pode ir consultando aos poucos, à medida que sente curiosidade ou necessidade. Eu, por exemplo, todos os dias o abro numa página ao acaso e leio a página ou o capítulo onde o abri. É muito conteúdo e por isso tem de ser assimilado aos poucos, ao longo dos anos. O DeRose também disponibiliza este livro para download gratuito. Para fazê-lo, clique aqui. Este é daqueles livros que você precisa ter. Deixo-lhe em baixo uma descrição do que vai encontrar. Um beijinho. “No Tratado de Yôga, DeRose reuniu oito livros seus para compor um clássico. Esta é a mais completa obra já publicada em toda a história do Yôga: são 58 exercícios respiratórios, 32 mantras, 27 Kriyás, 52 exercícios de concentração e meditação, 108 mudrás com ilustrações e mais de 2.000 técnicas corporais com suas fotografias. Além de todos os exercícios, o livro abrange desde a origem do Yôga, a pronúncia, a estrutura do Hinduísmo até os diversos tipos de Yôga. Constitui uma obra canônica no trato da filosofia milenar em questão. Sua saga tem sido, ao longo de mais de 50 anos de magistério, lutar para resgatar a verdadeira imagem desta antiga tradição, sem abrir concessões às tendências contemporâneas para a simplificação, adaptação, ocidentalização ou mestiçagem com outras correntes....
Conceitos Favoritos – Nyása

Conceitos Favoritos – Nyása

Adoro o conceito de nyása. Confesso que quando comecei a praticar tive alguma dificuldade a entendê-lo, mas assim que o compreendi e vivenciei, passou a ser um dos meus conceitos favoritos. Mas o que é nyása? “Significa identificação. Consiste num recurso que visa a produzir um fenómeno muito peculiar em que o praticante se identifica de tal maneira com o objeto da sua concentração que passa a possuir as características desse objeto.” “É possível executar nyása, não apenas com pessoas vivas ou mortas, mas também com objetos da Natureza, tais como uma flor ou uma pedra. E, ainda com egrégoras.” (Excertos de texto extraídos do livro Tratado de Yôga, do DeRose) Muito bem, lendo isto que acabei de escrever do ponto de vista de alguém que nunca praticou o Método DeRose, ou que pratica à pouco tempo, é um conceito meio estranho e vago. Vou tentar puxar isso para a nossa vida do dia-a-dia. Imagine que está a estudar na faculdade, que adora um professor porque se identifica muito com ele e que começa a estudar e trabalhar mais de perto com ele. De tanto ir às suas aulas, ler os seus textos e conviver com ele, começa a adquirir as características desse professor, na forma de pensar, de lidar com os alunos e etc. Isso é nyása. Outro exemplo, imagine que pratica algum desporto de alta competição e que tem como exemplo um outro atleta. De tanto observar esse atleta, a forma como atua, pensa, como treina, como gere a carreira, começa a adquirir as características desse atleta. Isso é nyása. Ficou mais claro não ficou? Se tiver ficado com...
Meditação em Imagem

Meditação em Imagem

Como lhe expliquei num post anterior, a 8ª parte da prática ortodoxa, do ády ashtánga sádhana, é o anga samyama, concentração, meditação e hiperconsciência. Antes de continuar a ler este post, relembre-se aqui o que é a meditação. Existem basicamente três graus ou métodos de meditação e hoje abordaremos o exercício de primeiro grau visando à meditação que é o yantra dhyána, e que consiste em concentrar-se na visualização de símbolos ou imagens. Este exercício só será efetivo se for feito sempre com um mesmo yantra. Ou seja, experimente vários e aquele que sentir que funciona melhor, use sempre. Na realidade o importante não é qual o símbolo ou imagem e sim se funciona. Lembrando que a intenção é concentrar-se de tal forma que pára de pensar e o processo da meditação então acontece. Alguns exemplos de símbolos ou imagens que podem ser usados. Um...
Como Falar Para ser Ouvido

Como Falar Para ser Ouvido

Eu sou desde sempre absolutamente obcecada por este tema, porque sinto que a maior parte das vezes as pessoas, eu incluída, não ouvem aquilo que os outros dizem, ou se ouvem não entendem de verdade. Quando me tornei Instrutora essa obsessão piorou, porque agora é imperativo que as pessoas me ouçam, entendam e assimilem o que desejarem, senão não consigo ensinar nada. Eu parto sempre do princípio que se a pessoa não me entendeu, é porque eu não me soube explicar. E sou uma fervorosa defensora de que a mesma coisa dita para pessoas diferentes tem de ser dita de forma diferente. Se queremos que a nossa mensagem seja entendida, temos de saber como dizê-la à pessoa que está à nossa frente. Ou seja, quando vi o título desta palestra tive de ver imediatamente. E fiquei muito surpreendida com a abordagem do Julian Treasure, porque nunca tinha visto as coisas assim. Mas encaixa-se completamente com a minha forma de ver a vida, onde coerência, consciência e empatia imperam. Não me vou alongar mais na explicação porque não quero sugestioná-lo. Mas se o seu trabalho é transmitir alguma mensagem a alguém, precisa de ver este vídeo. Por outro lado, se quer fazer-se entender melhor por aqueles que estão próximos, também precisa de ver este vídeo. Vale muito a pena. Um...
Livros a Ler: Karma e Dharma

Livros a Ler: Karma e Dharma

Este é mais um livro que recomendo a leitura e é um livro pelo qual sou apaixonada. Cada vez que o leio, já perdi a conta de quantas vezes o fiz, capto coisas diferentes e creio que isso acontece porque, à medida que vamos evoluindo, a nossa capacidade de absorção de informação evolui também. Para mim sempre foi uma ferramenta para pensar e decidir o caminho que desejo seguir na minha vida e isso é fascinante e absolutamente essencial. Você precisa de ler este livro. Vai entender aquilo de que estou a falar. O DeRose também o disponibiliza para download gratuito. Para fazê-lo, clique aqui. Deixo-lhe em baixo uma descrição do que vai encontrar. Um beijinho. “Na cultura ocidental cristã o conceito de karma frequentemente aparece distorcido, como se fosse um destino inflexível, algo forçosamente negativo, que precisa ser pago com sofrimento. Na visão hindu mais antiga, karma é uma projeção maleável dos potenciais gerados e alterados a cada momento pelas nossas ações, palavras, pensamentos e intenções. Este livro ensina conceitos revolucionários sobre estas duas leis, o karma e o dharma, bem como proporciona as ferramentas para atuar nelas de forma a modificar a nossa vida como melhor nos...
A Liberdade de Ser Quem Somos

A Liberdade de Ser Quem Somos

Apesar da maior parte das pessoas que me conhece não acreditar quando digo isto, é a mais absoluta das verdades. Sou uma pessoa muito introvertida e reservada. Por isso quando descobri este vídeo fiquei tão intrigada e decidi ver. Assim que terminei de assistir algo se reforçou em mim. E porque digo reforçou? Porque a primeira vez que vivenciei isso foi com o Método DeRose. E o que foi esse algo? De quão importante é sabermos quem somos, aceitar-mo-nos e vivermos, livremente, de acordo com aquilo que somos e nos realiza. Neste vídeo ela aborda a introversão, mas podia abordar qualquer outra característica que supostamente não é positiva e produtiva, mas que, não prejudicando ninguém, é o que você é. Vale muito a pena ver. Um...
Livros a Ler: Ser Forte

Livros a Ler: Ser Forte

  Este foi o primeiro livro que eu li do DeRose e sobre o nosso Método. Já o reli tantas vezes que perdi a conta, mas uma coisa é certa, sinto sempre o mesmo que senti a primeira vez que o li, à medida que vou lendo parece que ouço a voz do DeRose a ler-me cada frase, a contar-me cada história. É um livro imperdível, principalmente se quiser entender como tudo aconteceu e quem é este homem que, no meu caso, mudou para muito melhor o curso da minha vida. Em baixo deixo-lhe uma pequena sinopse, para saber o que irá encontrar. Depois conte-me o que achou. Ah e o DeRose disponibiliza este livro gratuitamente para download. Para fazê-lo clique aqui. Um beijinho. “Em suas 529 páginas, este livro instrui e distrai com um refinado senso de humor, descrevendo de maneira impecável as boas e más experiências de vida de DeRose no colégio interno, no exército, nas sociedades secretas, na família, nas relações afetivas, relatando viagens, descobertas e percepções proporcionadas por mais de duas décadas de contato com monges nos Himálayas. No texto de Quando é Preciso Ser Forteencontramos passagens que nos fazem dar boas risadas e outras que nos arrancam lágrimas sentidas. A obra aborda história, filosofia, romance, drama, ocultismo, orientalismo, empreendedorismo, cultura e poesia. O autor flui com facilidade e harmonia de um tema para o outro, deixando o conteúdo bem equilibrado e prendendo a atenção do início ao fim da leitura. Alguns leitores não conseguem parar de ler enquanto não chegam ao final. Muitos releem o livro outra e outra vez, pois, embora não seja a...
Detalhes Para Melhorar a Descontração

Detalhes Para Melhorar a Descontração

Como lhe expliquei num post anterior, a 7ª parte da prática ortodoxa, do ády ashtánga sádhana, é o anga yôganidrá, a técnica de descontração. Antes de continuar a ver o post de hoje, relembre aqui em que consiste esta técnica. Para extrair o máximo de prazer e resultado do yôganidrá alguns detalhes são importantes a ter em consideração: o ambiente, o ásana, a música e a forma de descontrair. Vamos por partes. Ambiente: – o ideal é fazer num espaço silencioso, com pouca luz, nem muito frio nem muito quente, num eva ou colchão confortável, com uma roupa confortável. Ásana: – o ideal é o uttarashvásana (1ª imagem em baixo), porque é a posição na qual todos os músculos estão em descontração absoluta, porém existem outras variações. Experimente o uttarashvásana, se não for o melhor para si, experimente os outros e escolha o seu preferido, o que importa é que funcione. Música: – o ideal é uma música sem voz, que não tenha muitas oscilações, que seja suave, nem muito alta nem muito baixa. Forma de descontrair: – a descontração faz-se sempre dos pés para a cabeça, colocando a sua atenção da musculatura e através da vontade dar ordem ao corpo para descontrair. Pode-se usar a ferramenta de contrair a musculatura e depois soltá-la para ajudar nesse propósito. Espero que estes detalhes o ajudem a melhorar a sua descontração. Se ficar com alguma dúvida escreva-me. Um...
Balanceamento dos Ásanas

Balanceamento dos Ásanas

Quando um Instrutor monta uma sequência de técnicas corporais, ou quando um aluno pratica sozinho, deve sempre atender ao balanceamento dos ásanas. É um detalhe muito importante que faz com que o corpo seja trabalhado da forma mais completa, ampla e segura possível, além das regras que abordámos anteriormente. Nesta questão do balanceamento dos ásanas, deve ter em conta estes dois pontos: – começar em pé, depois sentado, deitado e por último invertido (respeitando assim a inversão da circulação sanguínea) – fazer pelo menos um ásana de cada tipo: equilíbrio, lateroflexão, anteflexão, retroflexão, torção e invertida (para o balanceamento não é necessário fazer musculares, mas eu acho essenciais e coloco sempre, e vários) Como lhe disse num post anterior, existem codificados 2116 ásanas. Para exemplificar o que expliquei em cima, aqui ficam alguns: Equilíbrio Lateroflexão Anteflexão Retroflexão Torção Invertida Musculares   Se ficou com alguma dúvida sobre este ou outros posts, escreva-me. Um...